Mandato de Geraldo Cruz participa de ato "histórico" em defesa da democracia

2015-12-21 00:00:00 | Comentários:

Na tarde do dia 16/12, o trajeto entre a Avenida Paulista e a Praça da República, no centro de São Paulo, foi pintado de vermelho. Segundo estimativa da Central Única dos Trabalhadores (CUT), mais de 100 mil pessoas tomaram as ruas se manifestando em defesa da democracia, contra o pedido de impeachment da presidenta Dilma Rousseff e pedindo a saída do presidente da Câmara, Eduardo Cunha.

O Deputado Estadual Geraldo Cruz, líder da bancada do PT na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, manifestou apoio à presidenta Dilma. “Não podemos parar de lutar pela democracia. Nossa presidenta foi eleita de forma legitima e não aceitamos qualquer tipo de golpe que afronte os resultados das urnas”, afirmou.

Pessoas ligadas ao mandato do Deputado também estiveram na manifestação apoiando à presidente, assim como os vereadores de Embu das Artes: Doda, Edivanio e João Leite, todos do PT. Outros políticos também estavam presentes, como o ex-senador Eduardo Suplicy e o deputado Carlos Neder.

Além disso, pessoas de todas as idades e classes sociais estavam presentes, bem como vários movimentos, sindicatos de vários lugares de São Paulo, como os rodoviários de Sorocaba e região. Também estavam presentes artistas, movimentos de saúde, estudantes da UNE, o barão de itararé, cadeirantes e famílias.

Quando algumas pessoas começaram a chegar à Praça da República, outras ainda estavam no meio da Avenida Paulista. Isso fez com que os presentes passassem a chamar o ato de histórico.

Uma demonstração histórica do povo brasileiro de defesa da democracia e contra o golpe. Segundo o deputado, “a população sabe o que está acontecendo e não abrirá mão de suas conquistas.

Quando o caminhão que levava as lideranças dos movimentos sociais chegou à Praça da República, um manifesto assinado por várias entidades que pede unidade e mobilização popular para a luta contra o impeachment, pelo fim do ajuste fiscal e pelo “Fora Cunha”.

Com colaboração do Portal Linha Direta

Comentário

Envie seu comentário

Erros no formulário