Paulistas exigem educação pública de qualidade

2015-10-28 00:00:00 | Comentários:

Na tarde de ontem, 27/10, a Comissão de Educação da Assembleia Legislativa de São Paulo, pressionada pela Bancada do Partido dos Trabalhadores e entidades representativas de alunos e professores da rede pública estadual de ensino, realizou a última audiência pública sobre o Plano Estadual de Educação (PEE), em discussão nesta casa.

Mais de 600 pessoas lotaram o plenário Juscelino Kubitschek e deram uma lição de como discutir a educação de forma democrática.  Como foi defendido pelos deputados petistas, todas as entidades tiveram, oportunidade de subir ao púlpito para apresentar suas críticas e sugestões.

Em sua fala, o coordenador do Fórum Estadual da Educação, João Palma, que também é responsável pela elaboração do PEE junto com mais 76 entidades, o plano apresentado pelo governo apresenta muitas das propostas do Fórum, porém, com mudanças que causaram discordância dos professores, alunos e movimentos sociais.

A principal critica de Palma coincide com a da oposição na Alesp, e é justamente em relação à falta de definição de quais recursos serão destinados para a educação. A valorização do educador também foi reivindicada na fala da presidenta da APEOESP, Maria Isabel Noronha.

A união Municipal dos Estudantes Secundaristas e a União Estadual dos Estudantes  protestaram contra a superlotação das salas de aulas, a péssima qualidade da educação e o fechamento de escolas.

Para o líder da Bancada do PT na Assembleia Legislativa de São Paulo, deputado Geraldo Cruz, “não é possível imaginar a melhoria da educação no estado sem ouvir alunos e professores. Estou convencido que só é possível uma educação com a grandeza que São Paulo merece com transparência e gestão democrática”. CB

Comentário

Envie seu comentário

Erros no formulário