Alunos protestam contra fechamento de escolas

2015-10-06 00:00:00 | Comentários:

País e alunos de diversos pontos do estado de São Paulo protestaram no dia de hoje, 06/10, contra o fechamento de unidades escolares da rede pública estadual.

Há cerca de três semanas, o secretário Herman Voorwald anunciou o que o governo vem chamando de reestruturação do ensino público: fechar vagas noturnas nas escolas estaduais, separar fisicamente as escolas de Ensino Fundamental das escolas de Ensino Médio, o que poderá render turmas superlotadas.

No último sábado, 04/10, o líder da Bancada do PT, deputado Geraldo Cruz em entrevista a rádio comunitária Águia Dourada declarou que é preciso muita organização da população para resistir às medidas arbitrárias do governo que, na região do Embu das Artes, já comunicaram a intenção de transferir alunos de escolas com vocação para o segundo grau, para outra sem a mesma tradição, sem ouvir as comunidades escolares.

Segundo informações divulgadas pelo Sindicato dos Professores do Ensino Oficial de São Paulo (Apeoesp), o remanejamento de alunos também deve significar demissões.

Geraldo Cruz concluiu a entrevista dizendo que parece claro que as medidas visam unicamente conter os gastos públicos com educação.. “A princípio qualquer cidadão pode ser favorável a separação, mas, quando os pais perceberem que aquele irmãozinho que ia acompanhado dos outros irmãos mais velhos para escola agora andará desacompanhado, perceberão que a mudança não significará melhoria. Salas menos lotadas e professores mais bem remunerados surtiriam mais efeito neste sentido”, explicou.

Veja os pontos de protestos:

Cerca de 500 alunos fizeram um protesto hoje,06/10, pela manhã na Avenida Paulista. Segundo informações da Folha de São Paulo o grupo pertencia ao Colégio Estadual Caetano de Campos, localizado na região central da cidade.

Movimentos sociais, alunos, pais e professores da rede estadual de Educação organizaram ontem, 05/10, protestos nas cidades do ABCD contra o governador Geraldo Alckmin e o fechamento de escolas.

Em Mauá, cerca de 200 pessoas protestaram em frente à Diretoria Regional de Ensino.

Em Ribeirão Pires, professores e alunos foram à Câmara para reclamar da falta de diálogo do governo do Estado.

Para amanhã, 07/10, estão previstos atos em Santo André e São Bernardo.

Em Ibitinga, (100 km de Bauru) com as mãos entrelaçadas, cerca de 300 alunos deram um "grande abraço" para protestar contra o fechamento da escola estadual Iracema, na manhã desta segunda-feira, 05/10,no bairro Vila Izolina.

O Jornal da Tribuna – 1ª edição -  registrou protestos em Cananéia na região do Vale do Ribeira onde alunos com nariz de palhaços e cartazes nas mãos fizeram um protesto no Centro da Cidade. Houve protestos também na baixada santista. (com informações da RBA)

Imagem: Geovani Vitor Pereira

Comentário

Envie seu comentário

Erros no formulário