Violência, cultura e educação: o que tudo isso tem a ver?

2015-05-04 00:00:00 | Comentários:

A tarde desta quarta-feira, 29/04, na Assembleia Legislativa de São Paulo foi movimentada. Entre uma reunião política e outra, o líder da Bancada do PT, Geraldo Cruz, gravou o programa ‘Assembleia Convida’ com o professor, psicanalista e teatrólogo Jocelino Pereira Andrade. “O tema debatido foi “Adolescência: uma ponte para a vida adulta”.

A ideia era debater a relação entre país e filhos, incluindo o papel da escola neste processo. Proposta que, alias, foi executada com sensibilidade pelo professor que tem vasta experiência na relação da escola com os país e alunos. Por mais de vinte anos esteve dentro da sala de aula, sendo ainda diretor da Escola Estadual Eugênio Mariz de Oliveira Netto.

Mas a conversa foi além do combinado, percorrendo também o tema da maioridade penal, discussão que não poderia passar batido. Geraldo se colocou contra a proposta em discussão na Câmara Federal e falou sobre a importância do investimento em educação e cultura para a diminuição da violência contra jovens e crianças, ressaltando ainda que em um estado violento como o de São Paulo, os jovens são predominantemente vítimas desta situação e não cúmplices.

Paralelamente, acontecia o lançamento da Frente Parlamentar em Defesa da Cultura. Agentes culturais tocavam marchinhas de carnaval pelos corredores da Alesp para chamar a atenção das autoridades para o corte de 13 milhões no orçamento da Secretaria de Cultura que acarretou, inclusive, no fechamento de oficinas culturais em vários municípios paulistas.

A notícia se agrava quando sabemos em que pé esta as negociações com os professores da rede estadual de ensino público. Os professores caminham para quase dois meses de greve sem que o governo Alckmin se incomode em dar alguma resposta à sociedade.  Mas o que tudo isso tem a ver como bate papo do deputado com o professor Jocelino?

Segundo a própria Secretaria de Segurança Pública do Estado, os crimes estão em alta desde 2010. Há quatro anos, a taxa de roubos por 100 mil habitantes estava em 564,96 no estado. O aumento deste tipo de crime no ano passado levou a taxa para 726,32. Os casos de latrocínios na cidade de São Paulo também aumentaram. A escalada foi de 18% se compararmos os três últimos meses do ano de 2014 ao mesmo período de 2013.

Para Geraldo Cruz fica evidente que a falta de investimento em educação e cultura são as maiores causas do alto índice de criminalidade que fazem da população negra e jovem sua maior vítima. Todos esses dados não são números aleatórios, mas demonstrativos do modo tucano de governar, como ficou claro com a agressão aos professores no Paraná. “Não é com mais violência que acabaremos com a criminalidade juvenil. É preciso mais e melhores escolas, mais acesso à cultura para nossa população” explicou. “É preciso ampliar o debate sobre a redução da maioridade. Não é possível que a população continue sendo iludida pela idéia de que o simples encarceramento de jovens, sem a possibilidade de recuperação, irá diminuir a violência em nosso estado”. CB

Comentário

Envie seu comentário

Erros no formulário