PT realiza caravana com presidente Luiz Marinho em Embu das Artes e Cotia

2017-08-21 00:00:00 | Comentários:

No sábado, dia 19, a Macro Osasco do Partido dos Trabalhadores realizou a Caravana do PT, que se iniciou a tarde em Cotia e se encerrou a noite na cidade de Embu das Artes. Participaram as lideranças: Luiz Marinho, presidente estadual; Geraldo Cruz (deputado estadual); Valmir Prascidelli (deputado federal) e Valdir Roque (coordenador da Macro).

O Partido dos Trabalhadores reuniu seus filiados e simpatizantes das cidades onde a Caravana passou para ouvirem as falas das lideranças regionais que estiveram presentes. Tanto na Vila Monte Serrat, em Cotia, como na Câmara Municipal de Embu das Artes, o presidente estadual Luiz Marinho foi enfático nas críticas ao governo estadual tucano.

"O PSDB governa para a elite, e nós governamos para o povo, essa é a diferença. Nosso compromisso é o sonho do povo e temos que reconstruir o que fizemos, por que estão destruindo tudo: o FIES, o PROUNI, as Farmácias Populares, o Minha Casa Minha Vida e até o salário mínimo. Os golpistas estão destruindo tudo", afirmou Marinho, que durante seu discurso ressaltou que o governo do PSDB não apresentou evolução em diversas áreas como educação, saúde, transportes e limpeza do Rio Tietê, umas das primeiras promessas de campanha tucana há mais de duas décadas.

O deputado estadual Geraldo Cruz afirmou a importância da participação da militância na plenária em Cotia e em Embu das Artes, destacando a importância da aproximação da direção do Partido com a base.

"Foi boa a presença do Luiz Marinho na região, ele está asumindo aí a direção do PT em São Paulo com sangue novo e assumindo a pré-candidatura ao governo de São Paulo. Isso cria uma nova expectativa de renovar nossos sonhos. A militância teve uma participação muito boa em Cotia e em Embu, isso reforça como é bom o partido estar discutindo com a base, a direção do PT se aproximar da militância", afirmou Geraldo.

LEIA MAIS:
Artigo: O jeito certo de administrar
Juventude Paulista cobra aplicação de lei vetada por Alckmin

Comentário

Envie seu comentário

Erros no formulário