Manifestação contra o fim da aposentadoria pública reúne mais de 200 mil pessoas na Avenida Paulista

2017-03-17 00:00:00 | Comentários:

São Paulo parou na última quarta-feira, 15, para dizer NÃO ao fim da aposentadoria que o governo de Michel Temer quer “empurrar goela abaixo”, como disse Lula. Mais de 200 mil pessoas se reuniram na Avenida Paulista no final da tarde e mandaram um recado forte para o governo, em uma manifestação que foi pacífica e apartidária.

Diversos movimentos negros, estudantis, das mulheres, dos professores, de transporte, dos sindicatos e organizações participaram da greve geral. O deputado Geraldo Cruz afirmou que “este dia é histórico. Professores, mulheres, jovens, trabalhadores do transporte e até profissionais liberais se uniram para dizer que não aceitam trabalhar até a morte para pagar o pato dos desmandos deste governo”, declarou.

A manifestação contou com a presença do ex-presidente Lula. Entre os manifestantes o clima era de união e todos tinham um único objetivo, protestar contra a reforma da previdência pública proposta pelo Planalto. Em cima do caminhão de som, representantes de sindicatos e partidos de esquerda também declararam protesto contra a terceirização dos serviços.

LEIA MAIS:
> Deputado Geraldo Cruz se encontra com Lula para discutir políticas estaduais
OPINIÃO: Fim da aposentadoria pública: A conta do absurdo!
Seminário em defesa da mulher em Embu das Artes discute os prejuízos da reforma

Comentário

Envie seu comentário

Erros no formulário