Governo Alckmin saiu dos trilhos

2017-02-24 00:00:00 | Comentários:

O descarrilamento de trens deveria ser raro. Mas, em São Paulo, terra de reinado tucano, já aconteceu três vezes apenas este mês.

O primeiro descarrilamento ocorreu no dia 7 de fevereiro, na Linha Vermelha do Metrô, a mais movimentada, na Zona Leste da capital paulista. O segundo caso foi na terça-feira (21), na Linha Lilás, a menor do sistema, na Zona Sul.

O terceiro descarrilamento ocorreu na manhã desta quinta-feira (23) em um trem da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) interditando a Linha 12-Safira, que liga o Brás a Calmon Viana e Itaim Paulista. Por sorte, ninguém ficou ferido, mas a interdição foi mantida por todo o dia e provocou a interrupção da operação em seis estações.

Mais de 250 mil passageiros que utilizam diariamente a Linha 12-Safira foram prejudicados. O governo estadual não sabe explicar as causas do acidente e, mais de 24h após a paralisação, não há previsão para a normalização do serviço.

“O rolamento por algum motivo que não conhecemos superaqueceu e rompeu”,  limitou-se a dizer Milton Gioia Júnior, diretor de operações do Metrô à imprensa.

Desinvestimento do governo tucano

O sucateamento da malha de transporte sobre trilho em São Paulo é evidente. Não há um só dia que não haja atrasos técnicos em alguma linha do Metrô. Os prejuízos com a ineficiência da gestão tucana dos transportes estaduais trazem além prejuízos econômicos, piora na qualidade de vida dos trabalhadores. As reclamações de usuários da CPTM são inúmeras, indo desde superlotação, falta de segurança e até depredações.

Os investimentos do governo de Alckmin no setor são pífios. E até a antiga promessa de ligar por trilhos o Aeroporto de Guarulhos ao centro de São Paulo, a exemplo do que acontece em grandes metrópoles internacionais, já virou lenda. A conexão ferroviária é anunciada há pelo menos 15 anos. Em 2002, durante a campanha pela reeleição, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) manifestava o desejo de ter um "Expresso Aeroporto" pronto em 2005.

Segundo o deputado estadual Geraldo Cruz, o que está por traz do descaso de Alckmin com o transporte ferroviário urbano é o desejo de privatização do sistema. Há cerca de um ano o Sindicato dos Metroviários de São Paulo vem alertando sobre a possibilidade de privatização do transporte público. “A prática tucana vem sendo essa há muito tempo. Primeiro vem o investimento mínimo ou zero, quando a população já não aguenta mais o péssimo serviço, o governo anuncia a venda a preço de banana”, explicou. CB

 

 

 

Comentário

Envie seu comentário

Erros no formulário